quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Castelo de São Jorge, Lisboa, Parte IV.

Castelo de São Jorge @ Lisboa.
12.Junho.2012.
Fotografia & Edição: Marta Araújo.




Clica na fotografia para aumentar !



"Juntamente com a cidade, o castelo voltou a sofrer com os terramotos de 1531, 1551, 1597 e 1699. A sua história como Paço Real encerrou-se com a mudança do mesmo, ainda no século XVI para o Paço da Ribeira. A partir de então as suas dependências foram utilizadas como aquartelamento. À época da Dinastia Filipina foi novamente guarnecido, tendo sido utilizado como prisão. No contexto da Restauração da Independência, o seu Alcaide, Martim Afonso Valente, honrando o juramento de fidelidade a quem tinha prestado menagem, apenas entregou a praça aos Restauradores após ter recebido instruções de Margarida de Saboia, Duquesa de Mântua, até então vice-rainha de Portugal, que lhe ordenou a rendição (1640). A mudança da residência real para a zona ribeirinha, a instalação de aquartelamentos e o terramoto de 1755 contribuíram para o declínio e a degradação do monumento. Foi sede da Casa Pia de 1780 a 1807, quando foi utilizado como Quartel-General por Jean-Andoche Junot. Desse modo, descaracterizado e, em parte, interditado aos lisboetas, chegou ao século XX. Classificado como Monumento Nacional por Decreto de 16 de Junho de 1910, sofreu importantes intervenções de restauro na década de 1940 e no final da década de 1990, que tiveram o mérito de reabilitar o monumento, recuperando-lhe a traça medieval. Actualmente constitui-se num dos locais mais visitados pelos turistas na cidade de Lisboa. Em 2000 e 2009, dois projectos de ligação via elevador entre o Castelo e a Baixa foram considerados pela Câmara Municipal. O monumento oferece ainda os jardins e miradouros (com destaque para a Praça de Armas com a estátua de D. Afonso Henriques), o castelejo, a cidadela e a esplanada, um espectáculo multimédia (Olisipónia), uma câmara escura (Torre de Ulisses, antiga Torre do Tombo), espaço de exposições, sala de reuniões/recepções (Casa do Governador) e loja temática aos seus visitantes. A entrada no castelo é gratuita para os moradores do concelho de Lisboa. Para os restantes visitantes custa 7 euros."

4 comentários:

  1. Gosto deste tipo de fotografia, parece ter algum mistério, as sombras pontilhadas, o céu muito claro, pinheiros desalinhados, paralelos de granito. Um lugar com tantas histórias aqui relatado e retratado.
    Amanhã passo por aí rumo a Coimbra onde permanecerei algumas semanas.
    Bj

    ResponderEliminar
  2. Por incrível que pareça nunca fui ao Castelo de São Jorge! Tenho de colmatar essa falha :)

    Sem Jeito Nenhum Blog

    ResponderEliminar